terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Fazei o bem em silêncio o resto é vaidade!
(Elisabete Coelho)


"Se pudesse, não sofreria mais nenhuma frustração. Mas isso equivaleria a não estar mais disposta a viver. Então, que venham as danadas. Uma de cada vez, que sou forte, mas não sou duas."

Martha Medeiros


Para Freud, é tão inexplicável ser hétero quanto ser gay)

“Falar do ‘homossexual típico’ é tão absurdo quanto falar do ‘heterossexual típico’, do ‘transexual típico’, do ‘travesti típico’, e assim por diante: não existe nada ‘típico’ na sexualidade humana”.



Amigos verdadeiros permanecem sempre ao nosso lado, independente de qualquer outros motivos!

Elisabete Coelho


sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Passado se fosse bom era presente, a única coisa que eu filtrei dele é o meu aprendizado!

Elisabete Coelho


Um dos maiores erros que alguém pode cometer é acreditar que uma fruta podre ainda possa amadurecer.
(Elisabete Coelho)


Tudo o que fizemos por amor não é em vão, mesmo quando não somos valorizados, porque quem ama apenas se doa sem esperar recompensas, até porque as pessoas não estão pedindo para serem amadas.

Elisabete Coelho



Folhas secas!

Há alguns tempos atrás eu lamentava quando alguém me ignorava ou simplesmente se afastava sem eu entender os motivos, me sentia muito triste! Hoje eu não lamento mais, não fico triste, procuro entendê-los, pois tudo na vida tem um significado, hoje eu entendo que essas pessoas ficaram o tempo que deveriam ficar com elas eu aprendi que durante a nossa vida vamos conhecendo muitas pessoas e algumas vão se perdendo no tempo assim como as folhas secas caem das árvores no outono, isto acontece com algumas amizades também porque nada é pra sempre, cada um de nós tem o lado bom e o lado ruim! A vida leva apenas o que não nos acrescenta e mantêm as amizades boas além de nos apresentar novas amizades, novos amores!
Tudo é transformação, a vida é movimento e só permanece no mesmo lugar aquele que não se transforma e não se adapta a ela.


(Elisabete Coelho)



terça-feira, 11 de novembro de 2014

Pensar que é melhor que os outros por estar em melhores condições financeiras ou por ter um diploma é tolice, todos passamos por momentos de crise, tanto na saúde como em outros aspectos da vida. Só neste momento os arrogantes perceberão o quão equivocados estavam.

Elisabete Coelho

O apanhador de desperdícios
Uso a palavra para compor meus silêncios.
Não gosto das palavras
fatigadas de informar.
Dou mais respeito
às que vivem de barriga no chão
tipo água pedra sapo.
Entendo bem o sotaque das águas
Dou respeito às coisas desimportantes
e aos seres desimportantes.
Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade
das tartarugas mais que a dos mísseis.
Tenho em mim um atraso de nascença.
Eu fui aparelhado
para gostar de passarinhos.
Tenho abundância de ser feliz por isso.
Meu quintal é maior do que o mundo.
Sou um apanhador de desperdícios:
Amo os restos
como as boas moscas.
Queria que a minha voz tivesse um formato
de canto.
Porque eu não sou da informática:
eu sou da invencionática.
Só uso a palavra para compor meus silêncios.
Manoel de Barros

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

De repente, eu senti a leveza de me interessar por outro alguém. Sem passado pesando, sem presente passando despercebido. Fiquei feliz, não em começar uma possível nova história, nem em, quem sabe dessa vez, acertar. Não tava surtando e planejando um futuro lindo, com filhos correndo pela casa e cachorro no quintal, com o cara que eu mal conheço. Nada de planos bonitos, que sempre acabam rasgados pelo chão. Era um interesse simples, era pele, olhos nos olhos, arrepio, nada demais. O que me fazia sorrir de canto a canto era eu estar andando na direção de um outro alguém, sem me sentir acorrentada a nada e a mais ninguém. Sem nenhuma expectativa e nenhuma obrigação. Não tava ali pra adormecer minha dor por umas horas, não tava distraindo minha saudade. Tava ali e só, ficando bem, sem forçar. O ponto não era o novo cara, entende? Era meu reabrir de asas. Revoei. 

 Marcella Fernanda


terça-feira, 4 de novembro de 2014

"O amor aparece quando menos se espera e de onde menos se imagina. Você passa uma festa inteira hipnotizado por alguém que nem lhe enxerga, e mal repara em outro alguém que só tem olhos pra você. Ou então fica arrasado porque não foi pra praia no final de semana. Toda a sua turma está lá, azarando-se uns aos outros. Sentindo-se um ET perdido na cidade grande, você busca refúgio numa locadora de vídeo, sem prever que ali mesmo, na locadora, irá encontrar a pessoa que dará sentido a sua vida. O amor é que nem tesourinha de unhas, nunca está onde a gente pensa."  
Martha Medeiros.


Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e dizer uma coisa terrível, mas que tem que ser dita. Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e ouvir uma coisa terrível, que tem que ser ouvida. A vida é incontornável. A gente perde, leva porrada, é passado pra trás, cai. Dói, ai, dói demais. Mas passa. Está vendo essa dor que agora samba no seu peito de salto agulha? Você ainda vai olhá-la no fundo dos olhos e rir da cara dela. Juro que estou falando a verdade. Eu não minto. Vai passar.  
Caio Fernando Abreu


É muito cômodo que algumas pessoas não falem sobre o que as incomoda, mudos como uma porta fica fácil conviver com isto ou simplesmente se afastar, covardes costumam agir dessa forma.

Elisabete Coelho



Através da sua própria imagem você imagina os meus defeitos e as minhas qualidades quando na verdade você está vendo a si mesmo. As pessoas podem escolher a imagem que acharem mais adequada ou conveniente para ver e mostrar em determinados momentos.

Elisabete Coelho



Aprendi que não preciso falar em Deus a todo o momento ou tentar passar algo sobre ele para outras pessoas porque a minha fé está dentro de mim e não no que eu falo ou escrevo, cada pessoa encontra a sua fé no seu devido tempo.

Elisabete Coelho



quinta-feira, 16 de outubro de 2014

" Quando um pássaro se cala, nunca o faz por acaso, fá-lo por necessidade
e por estratégia. O silêncio é de ouro quando o canto é mortal. O silêncio
é para o pássaro como a jangada para o náufrago. Quer dizer sobrevivência. É também por isso que digo ter desenvolvido a técnica dos pássaros. Cantar para dentro, nas paisagens da alma, sobre os mais altos ramos da solidão, é às vezes coisa boa e coisa delicada. E assim, escuto esse canto de mim, essa forma de construir momentos de felicidade como se constrói um ninho, imprescindível mas por pouco tempo. O necessário apenas para ensinar a voar os pensamentos."

Joaquim Pessoa



Antes de amar outra pessoa é preciso amar a si mesmo.
É preciso olhar para dentro da sua alma e cumprir a ti mesmo as suas exigências e necessidades. Tenha amor, seja amor. Não espere que alguém venha suprir o que nem mesmo você não descobriu de ti. Abra os olhos para o novo, sinta o inesperado acontecendo , ele sempre chega e sorria toda a vez que o destino quiser bater um papo contigo. Não reclame de falta de sorte, mas se preocupe em se conhecer. Se ame primeiro , e será amado depois. Não provoque o entusiasmo sabendo que você não será capaz de aguentar o que virá depois. A conquista é boa, prazerosa, instigante, penetrante, te deixa em êxtase, mas dar a continuação é o grande desafio. Se prepare antes, não tente fazer tudo ao mesmo tempo. o Amor precisa de atenção e de muita dedicação, você precisa ter tempo para amar.
Thaís Fernanda


A Morte Devagar


Morre lentamente quem não troca de idéias, não troca de discurso, evita as próprias contradições.
Morre lentamente quem vira escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto e as mesmas compras no supermercado. Quem não troca de marca, não arrisca vestir uma cor nova, não dá papo para quem não conhece.
Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru e seu parceiro diário. Muitos não podem comprar um livro ou uma entrada de cinema, mas muitos podem, e ainda assim alienam-se diante de um tubo de imagens que traz informação e entretenimento, mas que não deveria, mesmo com apenas 14 polegadas, ocupar tanto espaço em uma vida.
Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o preto no branco e os pingos nos is a um turbilhão de emoções indomáveis, justamente as que resgatam brilho nos olhos, sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.
Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.
Morre lentamente quem não viaja quem não lê quem não ouve música, quem não acha graça de si mesmo.
Morre lentamente quem destrói seu amor-próprio. Pode ser depressão, que é doença séria e requer ajuda profissional. Então fenece a cada dia quem não se deixa ajudar.
Morre lentamente quem não trabalha e quem não estuda, e na maioria das vezes isso não é opção e, sim, destino: então um governo omisso pode matar lentamente uma boa parcela da população.
Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva incessante, desistindo de um projeto antes de iniciá-lo, não perguntando sobre um assunto que desconhece e não respondendo quando lhe indagam o que sabe.
Morre muita gente lentamente, e esta é a morte mais ingrata e traiçoeira, pois quando ela se aproxima de verdade, aí já estamos muito destreinados para percorrer o pouco tempo restante. Que amanhã, portanto, demore muito para ser o nosso dia. Já que não podemos evitar um final repentino, que ao menos evitemos a morte em suaves prestações, lembrando sempre que estar vivo exige um esforço bem maior do que simplesmente respirar.
Martha Medeiros



quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Paixão é oposto do Amor! Veja bem meu bem não quero estar apaixonada, não desejo que alguém se apaixone por mim, desejo amor verdadeiro.Paixão é doença e desse mal eu não quero sofrer.

Elisabete Coelho

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

"És livre na luz do Sol e livre ante a estrela da noite.
E és livre quando não há Sol, nem Lua ou estrelas.
Inclusive, és livre quando fechas os olhos a tudo que existe."
Khalil Gibran

''As grandes dores são mudas''.
Khalil Gibran


O amor é a única flor que desabrocha sem a ajuda das estações.
Khalil Gibran


O Profeta

Amai-vos um ao outro, mas não façais do amor um grilhão:
Que haja antes um mar ondulante entre as praias de vossas almas.
Encheis a taça um do outro, mas não bebais na mesma taça.
Dai de vosso pão um ao outro, mas não comais do mesmo pedaço.
Cantai e dançai juntos, e sede alegres, mas deixai cada um de vos estar sozinho,
Assim como as cordas da lira são separadas e, no entanto, vibram na mesma harmonia.

Dai vossos corações, mas não confieis a guarda um do outro.
Pois somente a mão da vida pode conter nossos corações.
E vivei juntos, mas não vos aconchegueis em demasia;
Pois as colunas do templo erguem-se separadamente,
E o carvalho e o cipreste não crescem a sombra um do outro.

Khalil Gibran



quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Eu me cerco de pessoas que conhecem o meu valor, não preciso de muitas pessoas para ser feliz, apenas das poucas e verdadeiras que apreciam o que eu sou. 

(Elisabete Coelho)


O amor acontece quando aceitamos as nossas imperfeições e as imperfeições do outro.

Elisabete Coelho



Eu sou imensurável para ser definida em palavras.

(Elisabete Coelho)


sexta-feira, 15 de agosto de 2014


 Nem sempre podemos nos proteger, pois não sabemos quem pode nos ferir.

(Elisabete Coelho)


"Mesmo quando eu estava no orfanato, quando percorria as ruas tentando encontrar algo de comer para me manter vivo, mesmo então pensava em mim como o maior ator do mundo. Eu tinha de sentir a exuberância que é fruto da absoluta confiança em si mesmo."
Charles Chaplin

Creio no riso e nas lágrimas como antídotos contra o ódio e o terror.

Charles Chaplin



quinta-feira, 14 de agosto de 2014

“Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece, é quem cumpre o que promete. É elegante não ficar espaçoso demais. É elegante não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao de outro. É muito elegante não falar de dinheiro em bate-papos informais. É elegante retribuir carinho e solidariedade. Sobrenome, joias, e nariz empinado não substituem a elegância do gesto. Não há livro que ensine alguém a ter uma visão generosa do mundo, a estar nele de uma forma não arrogante. Pode-se tentar capturar esta delicadeza natural através da observação, mas tentar imitá-la é improdutivo. Educação enferruja por falta de uso.”

Martha Medeiros





Simpatizo cada vez mais com quem nos ajuda a remover obstáculos mentais e emocionais, e a viver de forma mais íntegra, simples e sincera.

Martha Medeiros


Admiro a humildade das mariposas que suportam a claustrofobia do casulo, a dor da metamorfose natural, apenas para desfrutarem da breve liberdade e do calor emanado pelas lâmpadas nuas que iluminam aquilo que nasceu para ser escuro...Nós vivemos uma longa vida, repleta de tempo perdido, em um lugar chamado Engano. Gostaria de não escrever sobre isso, mas vejo uma da minha janela, fazendo círculos e círculos em volta do poste em frente à minha casa. Não percebo hesitação em seus movimentos, mesmo que sejam por puro instinto. Nós precisamos de GPS para nos deslocar na cidade em que nascemos. Somos vizinhos estranhos, tão íntimos quanto a raposa e o cordeiro. Desconhecemos a paz porque temos, por natureza, um coração belicoso. Uns mais, outros menos, mas não neguemos isso, por favor, só pioraríamos as coisas. Como as mariposas, mudamos com nosso “casulo” chamado dor, mas nem sempre para melhor. Temo sair de casa e encontrar estas pessoas que se recusam a perceber que estão erradas. O trânsito mata. Uma simples discussão no trânsito, mata. Por que não circulamos, então, em volta da luz? Talvez descubramos que coisas simples e, a princípio, sem sentido possam nos proporcionar boas gargalhadas. Pessoas que sorriem com frequência são belas mariposas.

Nyssa Schuwartz



quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Quero a Delícia de um amor tranquilo!

Nunca entendi algumas pessoas na vida. Aquelas que gostam de batata frita com sorvete. As que preferem cidade à natureza. As que mandam indireta no Facebook. Mas se tem um grupo de pessoas que me deixam mais confusa ainda, são aquelas que gostam de amores turbulentos.

Esse tipo de gente que é viciado numa briga. Que acha o melhor sexo do mundo aquele de reconciliação. Que usa a criatividade para inventar coisas que não existem só pra poder soltar faísca. Que tem orgasmos ao ganhar uma discussão. Que fuça no celular do outro torcendo pra achar qualquer motivo pra pegar no pé. Que tem como esporte preferido jogar coisas na cara. Que acha que um amor “tranquilo com sabor de fruta mordida” só é bom mesmo na voz do Cazuza.
Você com certeza conhece pessoas assim, ou quem sabe, pode ser uma delas. Não me leve a mal, mas é que sempre tive uma curiosidade enorme de entender como o cérebro dessas pessoas funciona. O que motiva essas pessoas a gostarem de relacionamentos no qual a guerra impera? Tem gente que acha que brigar todo dia ou toda semana é normal. Que acha normal levantar a voz para o outro, xingar a mãe, quebrar pratos, dizer um monte de barbaridades, e depois ir dormir abraçado de conchinha.
Minha teoria é que essas pessoas são viciadas na adrenalina gerada por uma briga. Elas são viciadas na sensação de fragilidade e só dão valor quando se lembram de que nada é verdadeiramente seguro. Gostam de ter a sensação de que tudo pode acabar no próximo instante. Se sentem que tudo está bem, que o mar anda calmo, sem ondas, uma piscina, começam a se sentir entediadas e acham logo um jeito de trazer uma tempestade para mudar os ares.
Assim como não entendo – mas respeito – as pessoas que gostam de batata frita com sorvete, respeito as que sofrem de abstinência quando ficam muito tempo sem brigar. Cada um sabe a dor e os prazeres de ser quem é, e ainda bem que existe livre arbítrio no mundo. Eu, no entanto, sou do time que adora um amor tranquilo.
Sou viciada mesmo é na calmaria de uma conchinha. Num abraço de bom dia seguido de um “que-bom-que-você-tá-aqui”. Na saudade antes mesmo de partir. No sexos de amor, e não de reconciliação. Na sensação de poder se jogar com a certeza de que o outro vai te segurar. No cafuné na cabeça com colo macio depois de um dia áspero. Nas madrugadas de conversa que passam sem ver – e que só acabam quando o sol vem te lembrar que é hora de dormir. No encaixe dos corpos sem que só faíscam de tanto amor. Na troca de elogios. No descompasso do coração – de paixão, e não de ódio. Na sensação de entregar o coração na mão do outro e ter certeza de que ele vai cuidar tão bem como se fosse o dele. Nas declarações de amor deixadas no espelho. No desafio de se reapaixonar todos os dias – e ter a certeza de que é possível.
E no fundo acho mesmo que quem diz que gosta de amores turbulentos é porque nunca viveu a delícia de um amor facinho. Porque de guerra, o mundo já está cheio.

Jaque Barbosa




Se você nasceu pobre, não foi a luta para adquirir um pouco mais de bens materiais, ninguém tem culpa a não ser você mesmo.

Elisabete Coelho


Das pedras

Ajuntei todas as pedras
Que vieram sobre mim
Levantei uma escada muito alta
Eno ato subi
Teci um tapete floreado
E no sonho me perdi
Uma estrada,
Um leito,
Uma casa,
Um companheiro,
Tudo de pedra
Entre pedras
Cresceu a minha poesia
Minha vida...
Quebrando pedras
E plantando flores
Entre pedras que me esmagavam
Levantei a pedra rude dos meus versos
Cora Coralina


terça-feira, 12 de agosto de 2014

Não sei até que ponto é bom ou ruim nos mostrarmos preocupados com alguém pois, quando demostramos preocupação, na maioria das vezes não somos reconhecidos e algumas pessoas logo pensam que deve ser por interesse e além de não valorizarem a tua preocupação, te desprezam! Por outro lado quando não nos mostramos preocupados somos taxados de egoístas. Enfim o ser humano é mesmo um bicho complicado!

Elisabete Coelho



sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Quando você se afastou de alguém e esse alguém não correu atrás, não significa que você tenha feito a melhor escolha, talvez essa pessoa pode ter sido vencido pelo cansaço de não ter sido valorizado!

Elisabete Coelho

Nada de se culpar agora. Não te culpa. Não me culpa. A gente não tem culpa. Eu e você fizemos o certo. Ou o que parecia ser o certo naquela hora. Depois, bem depois, vem o tempo e nos mostra a verdade como se fosse um passo de dança. Suave, intenso, inteiro. Ele vem e mostra. E aí a gente olha para trás e pergunta: por que não agi diferente? Porque você não tinha o conhecimento que tem hoje. Não tinha a maturidade deste momento. Não te culpa. Não me culpa. A gente não tem culpa.

— Clarissa Corrêa



quarta-feira, 6 de agosto de 2014

“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver” 

Amyr Klink


                            Das Vantagens de Ser Bobo

O bobo, por não se ocupar com ambições, tem tempo para ver, ouvir e tocar o mundo. O bobo é capaz de ficar sentado quase sem se mexer por duas horas. Se perguntado por que não faz alguma coisa, responde: "Estou fazendo. Estou pensando."
Ser bobo às vezes oferece um mundo de saída porque os espertos só se lembram de sair por meio da esperteza, e o bobo tem originalidade, espontaneamente lhe vem a idéia.
O bobo tem oportunidade de ver coisas que os espertos não vêem. Os espertos estão sempre tão atentos às espertezas alheias que se descontraem diante dos bobos, e estes os vêem como simples pessoas humanas. O bobo ganha utilidade e sabedoria para viver. O bobo nunca parece ter tido vez. No entanto, muitas vezes, o bobo é um Dostoievski.
Há desvantagem, obviamente. Uma boba, por exemplo, confiou na palavra de um desconhecido para a compra de um ar refrigerado de segunda mão: ele disse que o aparelho era novo, praticamente sem uso porque se mudara para a Gávea onde é fresco. Vai a boba e compra o aparelho sem vê-lo sequer. Resultado: não funciona. Chamado um técnico, a opinião deste era de que o aparelho estava tão estragado que o conserto seria caríssimo: mais valia comprar outro. Mas, em contrapartida, a vantagem de ser bobo é ter boa-fé, não desconfiar, e portanto estar tranqüilo. Enquanto o esperto não dorme à noite com medo de ser ludibriado. O esperto vence com úlcera no estômago. O bobo não percebe que venceu.
Aviso: não confundir bobos com burros. Desvantagem: pode receber uma punhalada de quem menos espera. É uma das tristezas que o bobo não prevê. César terminou dizendo a célebre frase: "Até tu, Brutus?"
Bobo não reclama. Em compensação, como exclama!
Os bobos, com todas as suas palhaçadas, devem estar todos no céu. Se Cristo tivesse sido esperto não teria morrido na cruz.
O bobo é sempre tão simpático que há espertos que se fazem passar por bobos. Ser bobo é uma criatividade e, como toda criação, é difícil. Por isso é que os espertos não conseguem passar por bobos. Os espertos ganham dos outros. Em compensação os bobos ganham a vida. Bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie. Aliás não se importam que saibam que eles sabem.
Há lugares que facilitam mais as pessoas serem bobas (não confundir bobo com burro, com tolo, com fútil). Minas Gerais, por exemplo, facilita ser bobo. Ah, quantos perdem por não nascer em Minas!
Bobo é Chagall, que põe vaca no espaço, voando por cima das casas. É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca. É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo.


Clarice Lispector


“Classe é algo que você vê, sente, ao invés de definir, você pode percebê-la nos homens também, em animais. você a enxerga em alguns artistas do trapézio enquanto caminham sobre o picadeiro. alguma coisa no andar, nos gestos. eles tem alguma coisa dentro e fora, mas é principalmente dentro e faz o exterior trabalhar.”

Charles Bukowski



terça-feira, 1 de julho de 2014

   Solteirice plena ou um relacionamento sério? Eis a questão!

As duas opções como tudo em nossa vida, tem seu lado bom e principalmente a percepção é uma questão de ponto de vista. Para algumas pessoas é melhor ser solteiro e para outras é imprescindível estar com alguém. Estar solteiro pode ser uma escolha, pois algumas pessoas não querem se relacionar por motivos dos mais variados, enquanto algumas acabaram de sair de um relacionamento conturbado, outras além de tudo querem conhecer várias pessoas, aveturar-se. Porém, após um tempo de solteirice surge a solidão, o que cansa muitas vezes, alguns procuram reprimir o sentimento comparando a ideia do ‘’estar solteiro’’ com liberdade, mas muitos estão na verdade praticando a libertinagem , e este é o momento em que há o vazio, nesse caso não é uma escolha pois é utilizado como justificativa o fato de não ter surgido a pessoas ideal para amar, e isto acontecerá naturalmente. Muitas vezes só é preciso perceber os detalhes, pois o amor pode estar mais próximo do que se imagina.

(Elisabete Coelho)